20/05/2010

Prancha de Caça Submarina - Ideia de como fazer uma

Como prometido ao Comandante Zeferino e Mestre Tibério, aqui vai a “receita” da prancha de mergulho que inventei com o meu Pai. Esta é bastante resistente e custa cerca de 60 a 70 euros, no máximo, se comprarmos o material em casas especializadas. O preço vale a pena porque é duradoura e super resistente, tem boa capacidade de arrumar material e tem pouco atrito na água. Face a outras pranchas no mercado, penso que o custo/benefício é bastante aceitável e…leva um monte de peixe em cima sem este estar sempre a cair para a água para fazer atrito… a malta que o diga no dia que fomos para a Alagoa da Fajanzinha!!!


Como material temos:
- 2,70cm de tubo pvc para levar cabos de electricidade e respectivas tampas de enroscar, em número de duas
- cerca de 20 metros de fio dynamic 5mm
- 1 prancha de body (medida pequena)
- anilhas de inox
- berbequim, chave de fendas e alicate
- tubo plástico transparente flexível cujo diâmetro seja suficiente para passar o fio dynamic 5mm
- tesoura
- Isqueiro para queimar as pontas do fio
- uma bandeira de bóia com tubo de borracha que se consiga enfiar na extremidade e outro de pvc (ver adiante na explicação)
- cola pvc e silicone se houver necessidade (ver mais adiante na explicação)
- outro material como mosquetões de acordo com necessidades, poita, rede, etc
- CERVEJA (fresquíssima) para animar a malta!!!









Ora bem…quero dizer que a sequência não foi a melhor, uma vez que se foi inventando à medida que o projecto evoluía. Por isso, podem seleccionar alguns dos passos a seguir de acordo com a preferência e experiência. Começando…

Começa-se por fazer os furos na prancha de body, por onde se vai introduzir o tubo de plástico com o fio por dentro. Assim, evita-se atrito com o fio directamente na prancha, o que aumenta a sua resistência e durabilidade. Convém os furos ficarem apertados, pelo que usámos uma broca de 6mm para tubo de plástico com 7/8mm. Os furos podem ser feitos quantas vezes se quiser, mas escolhemos cerca de 15 cm entre a maioria deles, uma vez que a prancha não deverá ser furada muitas vezes e com estes muito próximos afim de não lhe retirar resistência. Além disso, os furos que fizemos foram a 2,5 cm da periferia (exceptuando os da frente) para não rasgarem a periferia da prancha.




Agora coloca-se o tubo de plástico no interior dos furos, para que mais tarde se introduza o fio dynamic.





Agora começa a parte mais complicada, uma vez que há muito fio a ser usado (so para amarrar o tubo á bóia foram cerca de 13 metros. Começa-se por fazer um nó cego numa extremidade do fio e passa-se este por uma anilha de inox. Depois o fio é introduzido de baixo para cima na prancha e vai rodear o tubo. Dão-se 2 ou 3 voltas ao tubo com o fio em anéis diferentes e depois vão-se fazendo as passagens descritas na imagem ao longo de todo o tubo (cuidado que estas passagens podem ser realizadas com a entrada na prancha de cima para baixo, depende de como se realiza o processo inicial). É de notar que é importante que haja sempre tensão ao longo do percurso do fio, para que o tubo fique bem preso á prancha. Por isso, ajuda de alguém é essencial, sendo que tem que haver “músculo” no processo!!!


Este procedimento acaba na outra ponta da seguinte forma: ao passar a última vez no tubo, dão-se 2 ou 3 voltas nos anéis deste e o fio vai passar debaixo da prancha até à extremidade oposta. Aqui, vai-se fazer o último nó à volta da primeira passagem do fio na prancha, ou seja, de onde emerge após entrar na anilha. Assim, evitam-se os vários nós, inestéticos, e que cedem com o tempo, alargando todo o conjunto e fragilizando-o. Esta passagem por baixo da prancha aumenta a coesão entre o tubo, impedindo-o de “fechar”.

Para o mesmo efeito, passa-se fio no 1/3 da frente da prancha, afim de aproximar o tubo um pouco, o que impede que este “abra”.





Agora vão-se selar ambas as extremidades do tubo após o cortar á medida. Nós não colocámos cola nem silicone, uma vez que o tubo estava apertado pelas passagens de fio que o estrangularam, o que levou a que o encaixe da peça branca (na imagem) fosse apertado o suficiente. Aliás, tivemos que cortar parte dessa peça para que pudesse ser introduzida no tubo vermelho.
Além disso, as peças cinzentas (tampas) têm uma rosca com borracha vedante, sendo suficientemente estanques
De qualquer forma, poderia ter-se cortado o tubo à medida certa, depois colocar as tampas e só após isso montá-lo na prancha. Isto evitaria estas dificuldades, mas provavelmente seria necessário a colocação de silicone e cola de pvc para vedar…



Agora aproveita-se o cabo de segurança da prancha de body para fazer a ligação desta à arma (ou à poita). Faz-se um nó cego, passa-se o fio pelo buraco da peça, queimando-se a ponta. Depois, do outro lado coloca-se uma anilha com nó cego a trancar e o fio fica aí preso. Assim, é só ligar o fio da arma a este fio (nó, mosquetão, etc).



Agora para o enfião…


Fazem-se 3 passagens com o fio pela parte da frente do tubo em anéis separados entre si (afim de aumentar a superfície de contacto e a resistência quando se tiver que puxar a prancha para terra com todo o peixe…se tivermos sorte!!!). Escolhemos passar o fio por um elástico velho, afim de a seda do enfião ir aí enrolada, sendo de mais fácil arrumação e transporte, Faz-se um nó de volta de fiel na ponta e coloca-se um mosquetão para o enfião. Este pode ir enfiado entre a prancha e o tubo em transporte.
Quando na água, o peixe irá em cima da bóia usando este fio, podendo-se puxar facilmente o enfião para se colocar o peixe e, de novo, colocar o mesmo para cima da prancha.


Para colocação da bandeira…é preciso um tubo de borracha para colocar a bandeira e lhe dar altura visível e outro de pvc para introduzir este último. Assim, faz-se um furo na prancha (onde vos der mais jeito, apesar de eu ter escolhido um lado), coloca-se o tubo de pvc branco, devidamente tapado e vedado na face inferior, colando-se com cola pvc à prancha. Depois é só colocar a bandeira dentro deste e amarrá-la com um fio a um ou mais fios da prancha. Por isso é útil usar um tubo para a bandeira flexível, afim de esta estar sempre presa à prancha, ser de fácil colocação e remoção de acordo com as necessidades e não partir com um toque mais brusco. Cuidado que a bandeira deverá ser azul!!!!





Para transporte de uma segunda arma e poita, é fácil. Basta colocar fio com mosquetão, dando um nó á escolha na prancha, afim de se segurar o respectivo material.
Para a colocação da arma, escolhemos colocar na extremidade posterior esquerda o dito mosquetão, uma vez que é suficiente para transportar a arma na água de forma eficiente (fora d´água, nem por isso!!!). Para a colocação da poita, escolhemos na região mais anterior da prancha. O bicheiro pode seguir o mesmo raciocínio.
A rede serve para transportar de forma fácil outro material como mantimentos, saca arpões e colocar qualquer coisa que se apanhe e se queira transportar, etc…Pode servir mesmo para levar uma segunda rede bem arrumada, para colocar outras capturas. Escolhemos colocar um nó numa ponta e um mosquetão na outra, afim de a sua abertura e feche ser fácil.



O furo na parte posterior pode ter vários fins: transportar enfião, flasher, uma rede com capturas, etc…A sua realização segue os mesmos passos que o furo que serve para o fio de amarrar a arma á prancha. De notar que se usa um tubo de plástico transparente, afim de diminuir o atrito do fio na passagem no interior frágil da prancha. Também, convém usar uma (ou mais) anilha na parte inferior, seguradas com nó cego, afim de evitar o roçar do fio na saída da prancha.



Assim, com esta amiga, consegue-se facilmente fazer saídas prolongadas. O único inconveniente, é que o transporte através de zonas de passos mais difíceis não se faz de forma fácil. Já experimentei um sistema de transporte do tipo mochila, mas este não é prático como se tinha imaginado, pelo que desisti. De qualquer forma, aproveita-se e faz-se exercício ao sair da água, pedindo-se desculpa ao parceiro de mergulho (porque certamente vai sobrar para ele algum tipo de ajuda…ehehehe).

O conjunto é muito resistente. Contudo, é necessário cuidado ao escolher o tubo, verificando que este não está roto no momento da compra. Levei uma antiga prancha destas por sítios que “não lembravam ao demónio” e ela aguentou quase dois anos de “pura pancadaria”. Por isso, com cuidado suficiente, temos uma amiga para nos ajudar por muito tempo, com criatividade e, em tempos de crise...de forma acessível ao bolso “Tuga”!!!


                           
                                Um abraço e boas caçadas, Tiago Silva!!!

11 comentários:

Gui ® disse...

Bela Brico!
Parabéns Tiago!

Grande Abraço

PêJotaFixe disse...

Amigos,
Excelente ideia! Sugiro que em vez desse tubo colocassem aqueles "chouriços" para aprender a nadar. Para além de ser maciço tem maior flutuabilidade.

Abraço e saudações piscatórias

MR disse...

Muito bem pensado e executado

Ab

Anónimo disse...

Ora vivam!

Os tubos de esponja, que se usam para aprender a nadar não são suficientemente resistentes para a função em causa, uma vez que se rasgam. Quanto à flutuabilidade, o que interessa é a quantidade de ar no interior, sendo que este tipo de tubo consegue ter um bom volume, alem da prancha em si (já me vevou 35 kg de peixe mais eu proprio em cima...ehehehe).

Abraço e obrigado pela sugestão!!!

Filipe disse...

Pode ate dar vos jeito mas eu acho um desperdicio de bodyboard -.-

NC disse...

Brico interessante... eu nao gastaria uma prancha de body board para tal... mas cada qual com as suas opinioes... na globalidade a ideia é boa de facto.. por isso os meus parabens ;)

blue moments to everyone

César Nunes disse...

Excelente ideia.
Prancha de Bodyboard na Sportzone: 5 Euros.
Tubo Vermelho: 5 metros, 14 euros...
Segurança em casos de caimbras e cansaço: 100%.
Quoficiente de arrasto na água em caso de estar carregada com peixe: 1000% menos que no enfião.
A experiência vale tudo...
Mas tudo bem, se não querem gastar 5 euros numa prancha de bodyboard, pelo menos bebam umas canecas e gritem PORTUGAL!!! Quando for golo!
Abraços!

César Nunes disse...

Excelente ideia.
Prancha de Bodyboard na Sportzone: 5 Euros.
Tubo Vermelho: 5 metros, 14 euros...
Segurança em casos de caimbras e cansaço: 100%.
Quoficiente de arrasto na água em caso de estar carregada com peixe: 1000% menos que no enfião.
A experiência vale tudo...
Mas tudo bem, se não querem gastar 5 euros numa prancha de bodyboard, pelo menos bebam umas canecas e gritem PORTUGAL!!! Quando for golo!
Abraços!

Anónimo disse...

Tou fazendo uma mas a ideia do tubo não me agrada

Alberto Agostinho disse...

Bom dia a todos. A prancha está mt bem concebida. Venho só dar uma sugestão. O que axam de se enxer o tubo com espuma assim fica mais resistente e origina uma maior flutuabilidade? Abraço a todos. Alberto

Alberto Agostinho disse...

O que axam de se enxer o tubo com espuma para ficar mais resistente e flutua mt bem?

Direção

Tibério Barbeito e Zeferino Espínola Contacto: azoresub@hotmail.com