27/11/2009

A caça ao buraco

A caça ao buraco é das mais utilizadas nos Açores; isto deve-se ao facto do seu fundo ser vulcânico e cheio de fendas, buracos, cavidades e pedras.



Este tipo de caça é praticado a todas as profundidades, mas quanto maior for a profundidade mais condicionantes devemos ter em conta, pois exige mais do praticante de caça submarina. O material a utilizar neste tipo de caça são as gravetas e os saca arpões, que muitas vezes é que recuperam a presa e os arpões. Uma lanterna, que deve ser de boa qualidade para iluminar bem os buracos, e de fácil ligação. As armas devem ter um tamanho de pequeno a médio (entre 50 a 90 cm). Eu pessoalmente uso uma arma de 90, acho o tamanho ideal pois o tipo de buracos que costumo abordar, permite-me este tipo de arma. Para além disso, quando se está a inspeccionar um buraco algum tempo pode chamar a atenção de outros peixes, e até mesmo de cardumes. Assim sendo, esta arma dá jeito para tiros mais longos.

Ao sairmos de um buraco devemos ter em conta estas duas situações: sair de um buraco fazendo o mínimo barulho possível e não fazer movimentos bruscos, para não assustar o peixe que está dentro do buraco e os que podem ter-se aproximado.

Como encontrar os peixes entocados? A primeira coisa a fazer é não ignorar nenhuma fenda, cavidade ou pedra, já que os peixes podem estar onde menos esperamos, e nem sempre maiores profundidades são sinónimas de peixes maiores.

Com o tempo os nossos olhos ficam mais atentos a pedras propícias.

Que peixes podemos encontrar nos buracos açorianos? Existem dois tipos de peixes, aqueles que ocasionalmente estão no buraco, que param lá para descansar ou mesmo para abrigo, tais como a tainha, enxaréus, sargos, etc; e os que costumam andar mais escondidos, como abróteas, congros, moreias, etc.

Um bom método para capturar um maior número de peixes no mesmo buraco é não entrar neste, fazendo um agachon na entrada deste, despertando a curiosidade de algum peixe para sair do buraco. E pum fogo à peça, conservando assim os restantes peixes.

Muitas vezes abordamos buracos já nossos conhecidos e sabemos que peixes podem lá estar, se for um buraco que costuma ter enxaréus ou sargos não vamos entrar mas esperar que algum saia, ou aproxime-se da entrada; se for um buraco de congro, que normalmente são fendas mais estreitas e cavidades nas rochas, já nos aproximamos de modo a que consigamos alvejá-lo. Quando já não temos mais folgo, ou queremos voltar ao buraco, geralmente deixamos a arma à entrada deste, ou até mesmo uma lanterna colorida, o que é bom para não perdermos muito tempo à procura do buraco.

Possui alguns senãos, pois ao deixarmos o material a sinalizar o buraco, corremos o risco de ficar sem ele devido à força da corrente ou à água se encontrar turva. Isto pode se tornar dispendioso, sendo assim é melhor usar a arma presa à bóia.

Atenção: mergulhem sempre acompanhados pois este tipo de caça pode tornar-se perigosa; já muitos bons caçadores morreram à custa desta.

Deixo-vos estes conselhos para os amantes da caça submarina.


Texto de: Tibério Barbeito

3 comentários:

NC disse...

Excelente post tiberio ;)
continua puto ;) []

GuiGo disse...

Uma correcção... antes de se abordar o buraco devem ter em atenção primeiro os peixes que andam fora da toca, fazer uns agachons fora da toca de forma a despertar o interesse dos peixes que andam em volta e os que estão la dentro, deste forma consegue se uma maior taxa de sucesso e um maior numero de presas,porque o peixe que está dentro da toca, nela se vai sentir seguro e sempre que se assuste é nela que se vai refugiar, e não como disseram ou pelo menos me deram a enteder.. " primeiro inspeciona se o buraco e depois sim tem se atenção o peixe de fora do buraco " e digo isso porque ao dispararem dentro de um buraco assustam os peixes que la dentro andam e o que andam ao redor da zona.

boas caçadas
"Gui"

José Silva ® disse...

Boas Malta
A ideia do artigo está creativa mas no entanto voces baseiam se muito em escrever consuante as duas preferencias.
A vossa maneira e forma de caçar poderá nao ser a mais correcta, a malta quando escreve um artigo tem de falar na generalidade e não de forma pessoal.
E também ter em conta aquilo que escrevem, que por vezes aquilo que pensamos, poderá não estar correcto.
Por exemplo, falam no artigo de usar a arma presa á boia, na caça ao buraco.... é um erro.
Espero que não levam este comentário a mal, e encarem isso como uma chamada de atenção.
Força ;)

Direção

Tibério Barbeito e Zeferino Espínola Contacto: azoresub@hotmail.com