10/09/2011

NA "PESCA SUBMARINA" Spots de caça desportiva nos Açores destacados em revista de referência














Publicado na Quinta-Feira, dia 08 de Setembro de 2011, em Actualidade

A conceituada revista “Pesca Submarina” destaca cinco spots nos Açores através de uma dupla de jovens terceirenses, referindo que as ilhas possuem “um dos melhores cenários de pesca” a nível nacional.

Ilhéu da Praia, Baixa do Ferreiro, Ilhéu dos Fradinhos, Ilhéu do Norte e Baixo dos Rosais são os destinos mapeados pela publicação de referência na especialidade.

Tibério Barbeito e Zeferino Espínola são os dois jovens da ilha Terceira que, a convite da conceituada revista da especialidade “Pesca Submarina”, traçam cinco spots nas ilhas açorianas consideradas como “um dos melhores cenários de pesca submarina” do país.

Ao jornal “ a União”, um dos membros da dupla que há cerca de uma década dedica-se à actividade, refere que o convite da publicação nacional surgiu através das redes sociais uma vez que dispõe de um espaço de divulgação de pesca submarina, através dos quais surgiu o interesse para o artigo.

Trata-se, reconhece, da capacidade, evolução e qualidade da caça que praticam, como dupla, há cinco anos.

Segundo estes “pescadores/autores”, a características geo-vulcânicas do fundo do mar açoriano transformam este desporto numa “óptima experiência” quer para caçadores experientes ou principiantes: “a caça nestes fundos torna-se muito característica devido ao fundo ser de origem vulcânica, proporcionando inúmeras fendas, baixas e arcadas. Deste modo, são óptimas zonas para praticar este desporto pois são nestas que os peixes se refugiam e gostam de estar. Este tipo de fundo também possui outra grande vantagem, tem zonas mais fundas para o caçador que gosta de caçar mais fundo e está apto para tal, e tem zonas menos fundas para quem está menos à vontade, mas que são igualmente cheias de vida”.

“Os Açores com a sua diversidade de espécies permitem uma grande variedade de capturas, tornando o nosso enfião mais misto e colorido, ainda mais realçado com o aquecimento da temperatura da água que já se adivinha com a entrada dos pelágicos nas nossas baixas e ao longo das nossas costas, os troféus tão desejados; juntamente com eles e para nosso desagrado vêm as águas vivas e caravelas, o que por vezes complicam um pouco as saídas”, destacam.

Cinco spots de pesca

São cinco os locais que a dupla de jovens pescadores elege como dos melhores do país para caça submarina na edição de 2011 da revista. A saber, o Ilhéu da Praia, na zona Leste da Ilha Graciosa, onde se encontram, descrevem, “alguns baixios com elevada acentuação e cheios de vida” e onde se podem “realizar agachons e caídas ao largo das baixas” e “avistar certos tipos de peixes entre os quais os badejos, peixes-cão, vejas, garoupas, lírios, encharéus”.
A segunda paragem aconselhada é na Baixa do Ferreiro, igualmente na Graciosa, desta vez a norte, a um quarto de milha da costa, onde existe uma “baixa associada a um antigo vulcão submarino”. “Esta pequena elevação rochosa atrai diversos peixes, nomeadamente os peixes pequenos, que por sua vez chamam a atenção dos grandes”. Aqui, os pescadores referem que é frequente a observação de pelágicos “entre os quais as bicudas que abundam o local, por sua vez o cardume é invadido por serras e anchovas. Os lírios também marcam lá a sua presença, normalmente em cardumes numerosos”.

Na ilha Terceira, o Ilhéu dos Fradinhos, na zona sul, “associado ao rifte da Terceira, surgindo interligado ao topo de um cone vulcânico”, é outra das paragens. Neste spot, advertem, é preciso ter em atenção às “fortes correntes e à ondulação agitada o que por vezes dificultam a fixação na zona da baixa, o que obriga a que os mergulhadores possuam alguma experiência”.

“O fundo possui uma grande diversidade de peixes demersais nas zonas mais fundas da baixa (a partir dos 20 metros), tais como garoupas, peixes-cão, rocazes, bodiões”.

Ainda na Terceira, o Ilhéu do Norte, para os lados da Praia da Vitória, é “na maioria das vezes esquecido pelos moradores locais”. Porém, destacam, “este ilhéu tem características muito próprias, junto do mesmo podemos observar uma vertiginosa parede que cai logo para profundidades abaixo dos 30 metros, tendo esta parede uma pequena inclinação que pode servir de plataforma para uns agachons (caça à espera), para atrair a curiosidade dos pelágicos que por lá patrulham as redondezas”, sendo neste spot os peixes mais frequentes as bicudas, lírios, encharéus e serras.
A encerrar o circuito recomendado de pesca submarina está a Baixa dos Rosais, a noroeste de São Jorge que é: “um bom spot para pelágicos, onde por vezes podemos vê-los a alimentarem-se de pequenos cardumes, dos quais podemos citar alguns tais como serras, bonitos, atuns, lirios, anchovas, bicudas”.

“Relativamente ao grupo central, este local apresenta-se possivelmente como um dos únicos locais em que se observa uma grande abundância de pelágicos, comparando com o Banco D. João de Castro e Princesa Alice”.
Azoresub-Bluewater na promoção das ilhas

O Azoresub-Bluewater, em versão blogue e no Facebook, é a ferramenta que os dois caçadores usam para promover a pesca submarina que praticam.
“Pretendemos mostrar a beleza das ilhas dos Açores, mas especialmente a caça submarina”, sustentam na definição das páginas informativas que mantém na internet com constantes actualizações, fotografias, explicações, conselhos e outras contribuições.
O recurso às novas tecnologias quer igualmente, referem, “mostrar algumas das nossas aventuras por estas costas magníficas de fauna e flora inconfundíveis”.

Previsão do mar, tabela de marés, períodos de defeso, informações sobre os peixes dos Açores e outros dados são igualmente referências que quer o blogue quer a rede social que o Azoresub-Bluewater disponibiliza aos interessados na pesca submarina local.
Humberta Augusto
haugusto@auniao.com

Link: http://www.auniao.com/noticias/ver.php?id=25175

Sem comentários:

Direção

Tibério Barbeito e Zeferino Espínola Contacto: azoresub@hotmail.com